quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Presidente da associação das escolas mirins sobre corte de 50% da verba: ‘Ainda não está oficializado’

Por Redação SRzd

Nesta terça-feira (7), a notícia de mais um corte no Carnaval 2018 foi como um baque para todos os sambistas e amantes da festa. Dessa vez, as atingidas foram as escolas de samba mirins. Numa reunião entre a diretoria da Associação das Escolas de Samba Mirins do Rio de Janeiro, Aesm-Rio, e os representantes das 17 agremiações infantis, foi anunciado o corte de 50% da verba que a prefeitura do Rio de Janeiro destina às escolas de samba. Contudo, segundo o presidente da AESM-Rio, Edson Marinho, o corte ainda não está oficializado pois haverá uma outra reunião.

“Ainda não está oficializado. Vai ter uma reunião na terça-feira (14) e temos que esperar pra ver. O Marcelo, presidente da Riotur, nos chamou e falou que haveria a possibilidade (da verba ser complementada)”, afirmou o presidente da AESM-Rio.

Apesar disso, nem todos estão confiantes que o prefeito possa voltar atrás ou que a Riotur consiga complementar a verba. Cabe lembrar que esse é o terceiro corte de 50% no Carnaval, os outros dois foram referentes ao Grupo Especial e a Série A. Em ambos os grupos, nenhuma verba foi complementada oficialmente.


“Na verdade, eu não to confiante não, assim como muitos. Eu já convoquei uma reunião com os diretores e vai ter que ser no amor mesmo, porque dinheiro não vai rolar. Ele não fez nem pelo Especial, vai fazer pela nossas crianças?”, indagou a presidente do Infantes do Lins, Érica Renata.
Érica comentou que caso se mantenha a redução da verba, o desfile mirim também terá que ser reduzido em 50% e lamentou pela crianças que se dedicam para desfilar e agora ficarão sem brincar o Carnaval.

“Eu fiquei muito triste. Essa notícia do corte enfraqueceu todas as escolas mirins. Vamos ter que ir para um plano B pra ver como que a gente faz. A Infantes do Lins desfila com uma média de 2 alegorias, 2 tripés e cerca de mil componentes, mas eu não tenho condições de por todas essas crianças na avenida, vamos ter que cortar pela metade. A gente tem uma coisa com as nossas crianças: a gente fala que elas precisam estudar e ser aprovadas pra desfilar. Como que a gente vai falar pra elas agora? Não precisam estudar e ser aprovadas porque não vão mais desfilar?”, lamenta a presidente Érica.

PREFEITURA AINDA NÃO PAGOU TODA A VERBA DO CARNAVAL 2017

Segundo a presidente da Infantes, a prefeitura ainda não pagou todo o valor referente a subvenção do Carnaval passado. Apesar das escolas terem prestado conta, ainda faltam cerca de 7% a serem pagos.
“Já estava tudo parado. Eu tô confeccionando os protótipos com a ajuda dos amigos, porque nem os 7% do Carnaval passado eles pagaram, mesmo gente prestando contas. Mas não vamos desistir não! Com dinheiro ou sem dinheiro, a gente vai botar as crianças na avenida pra desfilar”, afirma Érica.

Fonte: www.srzd.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário