sábado, 26 de julho de 2014

Herdeiros da Vila oficializa nova direção e tem mulher no comando da bateria


Jovem Érica Santos é uma das poucas mulheres que acumulam o cargo de mestre de bateria no Carnaval mirim

O Dia

Rio - Que as mulheres cada vez mais ganham espaço dentro das baterias não é novidade, mas assumir a batuta de um grupo de ritmistas ainda é algo raro de se ver. Na Herdeiros da Vila, porém, o que muita gente do carnaval queria ver, irá acontecer em 2015. Aos 19 anos de idade, Érica Santos é a nova mestre de bateria da escola mirim na Unidos de Vila Isabel.
A jovem foi apresentada ao lado da nova diretoria em coquetel realizado nesta semana, na quadra da escola-mãe. Elizabeth Aquino, a Dona Beta, presidente da Vila, irá acumular a função na Herdeiros. Luciano Ferreira, vice-presidente da Vila será o diretor administrativo. O jovem Felipe é o novo mestre-sala e Duda Barreto a diretora de carnaval. Foi definido também que José Belmiro, o Trambique, um dos fundadores da agremiação mirim, será o presidente de honra.

Érica, por sua vez, toca caixa na bateria adulta da escola há quatro anos e começou justamente na Herdeiros da Vila. Hoje, além de caixa, toca tamborim e surdos de primeira e segunda, bagagem que adquiriu e está pronta para transmitir aos mais novos.

"Comecei com o Mangueirinha(diretor de bateria da Vila Isabel). Ele me ensinou e vou seguir tudo o que ele me passou para que a garotada nova possa aprender. Sempre gostei de ensinar. Já tive um grupo de pagode e essa situação não será novidade pra mim", conta ela, que elencou o desfile de 2013 como o mais marcante de sua vida no carnaval.
Moradora de Vila Isabel, a nova mestre de bateria da Herdeiros frequenta a escola desde criança ao lado da mãe, que também desfila na agremiação. Ela contou que sempre se interessou pelo ritmo e que venceu as desconfianças iniciais para entrar na ala. O instrumento que Érika toca é usado em maciça maioria pelos homens.
"No começo eles estranharam um pouco(risos). Mas com o tempo foram vendo que eu sabia tocar e que conseguia pegar as paradinhas. Agora já acostumaram e não tenho problema nenhum. Acho que daqui a alguns anos teremos mais mulheres no ‘’peso’’ da bateria".


 

sábado, 12 de julho de 2014

Veja o enredo da Estrelinha da Mocidade para 2015

A Estrelinha da Mocidade, agremiação mirim abraçada pela Mocidade Independente de Padre Miguel, definiu o tema que levará para Avenida em 2015. O enredo escolhido pelo carnavalesco Levi Cintra, resposnável pela agremiação mirim, ?''Quem ama abraça... Fazendo escola no samba''
Falando sobre a violência contra as meninas e mulheres, o tema tem uma conotação social e visa levar uma mensage mde conscientização ao público. A campanha tem importantes madrinhas e uma delas irá desfilar na escola. A atriz Luana Piovani, que no último carnaval já desfilou na Mocidade, confirmou presença no desfile da Estrelinha em 2015. A agremiação será a última a desfilar na terça-feira do próximo carnaval, dia 17 de fevereiro.
Confira a sinopse do enredo:
Quem ama abraça... Fazendo escola no samba!
Mais um carnaval. Estamos juntos para dizer, dessa vez, que não se bate em mulher.
A violência doméstica é algo a ser combatido. Nos nossos lares, na rua, na escola e também no carnaval. Chega de violência!
Os nossos corações pedem paz para que o amanhã seja muito melhor. Amanhã esse, representado pelas crianças, que muitas vezes também são vítimas.
A construção do conceito de gênero vem desde quando somos crianças. Nossa sociedade, erroneamente, acaba atribuindo características para o gênero masculino e feminino, cabendo, na maioria das vezes à mulher o papel frágil.
Esse pensamento acaba muitas vezes causando graves consequências, É muito comum ouvirmos frases como: mulher só deve pilotar um fogão, mulher é o sexo frágil. Chega de machismo!
Nas relações, essa posição supostamente frágil, faz com que muitos homens mantenham a mulher numa condição de propriedade, tornando a sua companheira submissa a ele. E, por entender as coisas dessa forma, esses homens acham por direito violentar suas companheiras, tanto fisicamente quanto psicologicamente. Isso afeta, na verdade, além das mulheres diretamente, toda a estrutura familiar.
Ao longo dos anos a violência doméstica e a igualdade de gênero foram tomando cada vez mais espaço nas políticas públicas e no setor privado.
Como exemplos, em 2009 foi promulgada a Lei Maria da Penha, que prevê punição aos agressores. Foi lançado em 2010 o Disque 180, que é um serviço de proteção às mulheres para que possam denunciar os agressores.
Em 2011 foi lançada a Campanha Quem Ama Abraça com a participação de vários artistas. O sucesso foi enorme e o projeto ganhou desdobramentos: em 2013 foi lançada a Campanha Quem Ama Abraça Fazendo Escola, voltada ao público infanto-juvenil, como foco na escola como instrumento socializador do saber e com participação de artistas do mundo pop e infantil.
Em 2015, chega a vez da escola de samba mostrar o seu viés educativo, seu papel social.
Vamos mostrar que a violência e o machismo não estão com nada!
Sintam-se abraçados pela Estrelinha da Mocidade. Afinal, Quem Ama Abraça!
Carnavalesco: Levi Cintra
Texto: Raphael Homem



terça-feira, 1 de julho de 2014

Herdeiros da Vila reeditará 'Direito é Direito'

Redação SRZD

A Herdeiros da Vila, agremiação mirim da Vila Isabel, defiiniu o enredo que apresentará no próximo Carnaval. Os foliões do futuro desfilarão o tema "Direito é Direito" que a escola-mãe apresentou em 1989.
- Clique aqui e saiba tudo sobre o Carnaval 2015
Desenvolvido pelo carnavalesco Max Lopes, o tema será reeditado depois de 25 anos e será contado por 1.200 crianças e adolescentes da comunidade do Morro dos Macacos. A escola que já revelou talentos como o intérprete Tinga, hoje na Unidos da Tijuca, será a segunda agremiação a desfilar na terça-feira de Carnaval em 2015.

Confira a sinopse

Criança é semente.
Precisa de água, luz, carinho, diariamente
Para florescer
O quê? O quê? A vida digna, de gente.
Rega-se com amor e também repreensão.
E ela cresce faceira, sadia, feliz, então.
A criança, assim, sorri para a vida.
Resplandecendo a luz mais luminosa da inocência tão ausente nas idades mais tenras.
Vira árvore gigante. Tão linda, tão frondosa...
E com o direito de ser feliz.
É assim que deve ser, como diz a lei dos homens e de todos os deuses.
Ora, direito é direito, está na declaração!
Vamos fazer cumprir?
Criança brinca.
Criança corre.
Criança tem direito de ir e vir.
Criança solta pipa.
Criança brinca de pique-pega.
Criança tem direito à vida.
Criança roda pião, mas também brinca de boneca, seja menino ou menina.
Criança estuda.
Criança questiona.
Criança joga futebol.
Criança dança.
Criança não trabalha.
Criança não apanha.
Criança não passa fome.
Criança sorri.
Criança é criança, e nunca deixará de ser.