domingo, 30 de junho de 2013

Corações Unidos do CIEP

GRCESM Corações Unidos do CIEP é uma escola de samba mirim da cidade do Rio de Janeiro, que participa todos os anos do desfile oficial de escolas de samba mirins, realizado, desde 1999, , na Marquês de Sapucaí. Sua sede está localizada no CIEP que funciona ao lado do Sambódromo, sendo uma das poucas escolas mirins cariocas que não é ligadas a outras escolas mães.É composta pela participação de várias escolas do município. A Corações do CIEP desfilou pela primeira vez no ano de 1986, contando com 800 integrantes. No ano de 2008, participou do Carnaval apresentando o enredo "A cidade de eterna realeza anuncia: O Rei chegou!" , contando a história da chegada da Família Real Portuguesa ao Brasil, aproveitando as comemorações do bicentenário do evento. Nesse carnaval, contou com 2600 integrantes, que se dividiram em 22 alas. Em 2011, reeditou o samba-enredo da União da Ilha de 1982. No ano seguinte, abordou a história da Matemática, suas operações básicas e sub-disciplinas, como a Geometria, e outras áreas do conhecimento que utilizam números, como a Numerologia.

Conheça mais um pouco sobre esta grande escola.

Estrelinha da Mocidade

A Estrelinha foi fundada em 1992, e teve como sua primeira presidente, Beth Andrade. Sua estreia nos desfiles foi considerada triunfal, faturando inclusive inúmeros elogios da crítica na época. Após o primeiro desfile, a escola pediu uma licença sem vencimento já para o carnaval de 1994, retornando às atividades somente em 2002, com o primeiro mandato do presidente Paulo Vianna. Em 2011, reeditou o samba-enredo da Mocidade de Padre Miguel de 2002.1 Em 2013, reeditará o samba "Sonhar não custa nada, ou quase nada". Fonte: wikipedia.
Conheça um pouco mais sobre a Estrelinha da Mocidade.
Estrelinha da Mocidade – 2011
“Hoje tem alegria!!!”

Mel do Futuro

GRCESM Mel do Futuro é uma escola de samba mirim da cidade do Rio de Janeiro, que participou do desfile oficial de escolas de samba mirins, realizado, desde 1999 até 2012, na sexta-feira de Carnaval, na Marquês de Sapucaí. No ano de 2013 infelizmente sentimos a falta desta excelente escola mirim que era composta pela união de crianças de diversas comunidades carentes do Rio de Janeiro.
Passistas do Mel do Futuro

.
Rio em Preto e Branco







Mel do Futuro 2012
 
 

Ainda Existe Criança na Vila Kennedy


Conheça um pouco mais da Escola de Samba Mirim  Ainda Existe Criança na Vila Kennedy.

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Mangueira do Amanhã anuncia concurso de samba-enredo.

"Para o carnaval de 2014 a Mangueira do Amanhã  realizará um  concurso de samba-enredo!!!
Fiquem atentos para as datas de entrega da sinopse e dos sambas concorrentes, que serão divulgados pela escola mirim em breve."
 

terça-feira, 25 de junho de 2013

Leia a sinopse do enredo da Estrelinha da Mocidade



Seguindo a linha temática de que as agremiações mirins deverão homenagear a Copa do Mundo, no Carnaval de 2014, a Estrelinha da Mocidade divulgou a sinopse do enredo "Chegou a hora dessa nossa molecada mostrar seu valor", que será desenvolvido por uma Comissão.
Leia na íntegra:

Introdução:
Em 2014 o mundo se reunirá no Brasil para celebrar a grande festa do futebol mundial. E nada mais justo que as escolas de samba mirins do Rio de Janeiro se reúnam para cantar essa paixão nacional no carnaval carioca. Para a Estrelinha da Mocidade, ficou a missão de lembrar o mundial de 1994, quando nossa seleção conquistou o seu tetra campeonato, nos Estados Unidos, após vinte e quatro anos de jejum. Um Mundial inesquecível, com personagens e histórias marcantes.
A trilha é "Brasil Pandeiro", de 1940, nas brasileiríssimas vozes dos Novos Baianos. A emoção é a mesma que embalou o Brasil em 1994, só que agora entram em campo os craques da seleção de Padre Miguel. Avante, Estrelinha!

Sinopse:
Um só compasso marcava milhões de corações aflitos em verde e amarelo. Em segundos, um "chute para o infinito" irá atingir uma estrela e cravá-la no peito de toda uma nação.
Chegou a hora dessa molecada mostrar seu valor!
Da Penha ao Pontal, de norte a sul do meu país, uma gente que tem ginga e "pediu à Padroeira" para ajudar festeja! O grito na garganta, preso desde a "corrente pra frente" ecoa pelos quatro cantos do planeta. Somos os reis de novo!
Salve a Vila Vintém, pendura a saia e empunha a bandeira, que eu quero ver!
O Tio Sam vai tocar pandeiro para o mundo inteiro sambar. É Tetra!
E já que o "Tio Sam está querendo conhecer a nossa batucada" e que
anda por aí dizendo que "o molho da baiana melhorou seu prato", vamos mostrar para ele que futebol e samba no pé vêm de berço, estão na alma do brasileiro!
Vai provar do cuscuz, do acarajé, do abará... Da caipirinha, da feijoada, do nosso torresminho... Encantar-se com a nossa fauna, flora e com essa gente hospitaleira... Isso sem falar da beleza daquelas que "têm tufões nos quadris". A Casa Branca vai dançar a batucada de ioiô e também a de Iaiá!
Então: Brasil, esquentai os vossos pandeiros e cuícas! Iluminai os terreiros, as quadras, as ruas! A molecada da Estrelinha quer sambar e mostrar que nosso "baticubum" é diferenciado!
Há até quem sambe diferente, em outras terras, outra gente, que também tem "um batuque de matar". Tai a "Surdo Um", a "Tabajara do Samba" e a "Sinfônica" que não nos deixam mentir. Mas é fundamental "mostrar a nossa identidade"! E podemos provar que mesmo "invertida", garantimos que "Não Existe Mais Quente"!
Seja no campinho de várzea, ou fazendo essa "tal batucada", o importante é reunir nossos valores, "pastorinhas e cantores", já que são "expressões" que não têm par.
A Estrelinha da Mocidade só quer mostrar a este simpático "Tio" que, dos pés de uma criança, seja driblando as dificuldades da vida, riscando o chão da Passarela do Samba ou fazendo mirabolantes embaixadinhas, pode brotar a esperança de um futuro melhor.
Do futebol nasceu a nossa arte de sambar! Hoje, a "Mocidade" do Independente Futebol Clube olha para o amanhã e, com garra e determinação, bem como os heróis do tetra, se prepara para as vitórias que estão por vir.
Para Assis Valente, autor de "Brasil Pandeiro", Carmem Miranda e Mestre André.
Esclarecimento: é importante dar valor às raízes! Nossa batucada é diferente! Nossa afinação é invertida e isso faz parte do DNA desta bateria que é uma instituição do Carnaval Brasileiro. Isso precisa ser respeitado e acima de tudo preservado. Salve a Mocidade!
Comissão de carnaval
Texto: Ricardo Dias

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Nova Geração da Estácio de Sá vai homenagear Manaus em 2014

Redação Carnavalesco

A representante da Estácio de Sá nos desfiles mirins definiu o tema que levará para a Passarela do Samba no carnaval 2014. A cidade de Manaus, uma das sedes da Copa do Mundo no próximo ano, terá sua história, tradições, lendas e costumes mostrados na Avenida pela criançada estaciana. O enredo de autoria do carnavalesco estreante Carlos Calado, também abordará o campeonato mundial que terá na capital do estado do Amazonas, uma de suas sedes. Confira a sinopse:

“Nos Manáos a força, Manaus a capital, explosão cultural. Arena Amazonas Vivaldo no meu carnaval”
Introdução – Da força da terra as tribos ecoam pela floresta, o povo simples perpetua suas raízes e faz brilhar suas artes, cultura, danças e costumes que ao longo dos anos, sobram um vento manso como uma brisa quente através de modificações a Manaus sempre pioneira valente tropical e guerreira. Nunca ausente de suas origens primeiras.

Sinopse
Abertura

- Sobre a força indígena dos Manáos a floresta ecoa Manaus o coração da Amazônia, os povos indígenas sempre foram os verdadeiros donos da terra e como não poderia ser diferente no norte do nosso país, se faziam presente inúmeros habitantes indígenas que se diferenciavam por suas línguas e costumes, já em plena harmonia com a natureza viviam da pesca e do plantio da mandioca, praticavam entre eles um tipo de comercio tribal, atividade esta que seria uma das principais exercida no desenvolvimento da região. Os Manáos eram os povos indígenas em maior número na região e viviam em ambas as margens do Rio Negro, foram fortes opositores a colonização dos portugueses e não se permitiram escravizar, mesmo tendo sido eles uma das tribos que ajudaram na construção do Forte de São José da Barra do Rio Negro.
A natureza foi sábia e fez da convivência dos portugueses com os Manáos a união dando origem a miscigenação cabocla na região e promovendo a paz, devido a essa miscigenação ocorreu um considerado aumento na população obrigando os missionários “carmelitas, jesuítas e franciscanos” a erguer a capela de Nossa senhora da Conceição que passaria a ser tida como a padroeira da cidade.

1º Setor – Manaus então cidade capital do Amazonas.
A borracha retirada dos seringais, fez da cidade referencia nacional para o Mundo cobiçando a migração de nordestinos, gaúchos, paulistas maranhenses e até mesmo imigrantes franceses, judeus, gregos, italianos e espanhóis. A fase áurea da borracha trouxe para Manaus muitos benefícios como bondes elétricos, telefones, eletricidade e água encanada, a construção de seu porto que passou a abrigar navios de diversas bandeiras e claro como não poderia ser diferente dessa mistura surgiram influências de suma importância para a cultural manauense seus primeiros monumentos, teatros, hotéis, cassinos, bancos e palacetes dotados de todos os requintes das cidades modernas a Paris dos trópicos brasileira, Manaus desenvolveu um dos núcleos de medicina mais avançados da época para o combate a doenças tropicais na assim denominada “escola de medicina tropical”.


2º Setor – A força da terra ecoa e Manaus enriquece ainda mais sua cultural eis a Zona Franca da cidade, Pólo industrial.
Com condições novamente após ter passado por um declínio da exportação da borracha, a capital do Estado do Amazonas ganha rentabilidade econômica e grandiosa expansão urbana, passando a ser uma das cidades mais populosas da América latina, aprendendo a desenvolver, aliada a programas de proteção ambientais propiciando melhor qualidade de vida e preservação de sua flora e fauna diversificadas. Que abriga tipos variados de plantas onde a vitória régia se destaca pelo tamanho que podem chegar a possuir suas folhas, a capital ambiental do Brasil é dona do maior rio da Terra o Rio Amazonas, tudo favorece a cidade sua localização geográfica, vegetação densa, animais de todas as cores e plumagens, espécies de peixes que vieram até mesmo a servi como origens de algumas lendas da região como a do boto, o encontro das águas dos rios Negros e Solimões atraindo turistas de todas as partes do mundo, praias que lembram fases da lua, a diversidade é ampla, porém mesmo com tudo isso é predominante na região a herança indígena o artesanato indígena é de grande avalia nacional e internacionalmente o celeiro folclórico se faz presente com a festa dos bois-bumbás de Manaus os bois “boi brilhante”“ boi corre Campo” “boi garanhão” entre outros folguedos regionais.


3º Setor - Manaus ecoa, ecoa Manaus Vivaldo Lima no meu carnaval.
O médico advogado Vivaldo lima o Vivaldão, foi um dos pioneiros no pensamento da construção de um estádio de futebol de grade porte na capital do Amazonas, Vivaldo foi uma pessoa muito importante no cenário do futebol manauense, teve participações em vários clubes da região entre eles o “Leão azul que é o Nacional Futebol Clube” o “galo de Manaus Atlético Rio Negro”. Algumas personalidades do futebol também marcaram presença na região como o goleiro Clovis mais conhecido como Aranha Negra, recentemente Manaus deu inicio a mais um ato pioneiro para o país, passando a realizar a copa indígena na região, socializando a cultural nativa como sempre. É de fato Manaus é dos nativos é dos Manáos a todo tempo em todos os aspectos devido a essa força natural hoje fora escolhida como uma das cidades sede da Copa de 2014, sendo agraciada com a construção da Arena do Amazonas, onde seu mais importante personagem o Vivaldão se imortalizou e virou folguedo nesse carnaval.


Presidente do Grêmio Recreativo Cultural Escola de Samba Mirim Nova Geração do Estácio: Joel Toledo
Pesquisa e autoria do enredo: Carlos Calado.